A Morte e o Morrer entre o deslugar e o lugar

Imagem: 

Acaba de ser publicada, a tese de doutoramento do capelão do Hospital de S. João – Porto, pe. José Nuno Silva:

«A Morte e o Morrer entre o deslugar e o lugar»

Precedência da antropologia para uma ética da hospitalidade e cuidados paliativos

Entre 1970 e 2005, o acontecer da morte no hospital passou de menos de 20% para quase 60% dos que morrem cada ano em Portugal. Daqui parte esta tese de doutoramento em bioética, que lê o fenómeno, não como mera transferência de lugar, mas como uma negação de lugar aos que morrem. A este fenómeno chama o autor deslugarização e, ao hospital, deslugar do morrer. Com o contributo de reconhecidos autores nos domínios da antropologia, sociologia e bioética, interpreta-se a nova realidade, afirma-se a urgência de uma política da morte e propõe-se uma mais profunda abordagem ética das questões fracturantes em torno do morrer humano, uma compreensão do hospital como lugar existencial integral e os cuidados paliativos como reencontro da medicina com a sua matriz humanista e como lugar e instrumento de invenção, na primeira era que a não possui, de uma Ars Moriendi, imprescindível a uma arte de bem viver.

Índice

Introdução | I. A morte e o morrer: mudança ou negação de lugar? | II. A Deslugarização da morte e do morrer | III. Do Deslugar ao Lugar | IV. Um Lugar que abraça | Conclusão Geral

Livro do mês

  • O Sotaque do Porto

    "Um conjunto de textos de Arnaldo Saraiva, alguns deles anteriormente publicados, enquadrados por (ou que enquadram) fotografias a preto e branco de Duarte Belo, tratam as imagens de aspectos do espaço urbano da cidade do Porto, do rio Douro, do seu encontro com o mar."

Artigo em destaque

Maria Cândida Maia

Revista da Ordem dos Médicos

Páginas

últimos trabalhos destacados...